segunda-feira, 16 de julho de 2018

Bracara Urban Race 2018 15/07/2018


Fantástico ambiente pelas ruas da bela cidade de Braga! 

O BTT veio à cidade, é só o que admiro neste tipo de eventos.
Sentia-me em dívida com o meu amigo Sergio Magalhães.
Adorei estar presente e participar neste evento infelizmente só deu para fazer meia duzia de voltas... 

Logo à 2ª volta ao sair de uma zona do percurso que era percorrido sobre a relva, em que de seguida entravamos no paralelo após uma descida bastante inclinada, senti uma pacada forte nas costas do lado direito, de seguida desconforto, dificuldade em respirar normalmente e com dores cada vez mais insuportáveis para mim. 

Já não estava a divertir-me... Dificuldades no curva contra curva notava que o meu estado cada vez mais estava a agravar. Ao curvar para a esquerda as dores eram cada vez piores... Contratura?! Dois dias e estou novo... para treinar para o Race Nature Vieira do Minho de três dias já no próximo fim/de-semana. 

Parabéns à Organização deste evento que esteve para lá do espetáculo! Feliz da Cidade que tem uma organização a erguer um evento como este.
Obrigado do fundo do coração por todo o carinho e respeito com que a organização me recebeu! 


Video da Partida:Bracara Urban Race 2018






Skyroad Granfondo Serra da Estrela 08/06/2018


Este foi um fim-de-semana maluco! Mas o maluco fui eu! 


Tão depressa estava sentado em cima da Scott SCALE, nas LOUROPEL 24 horas Btt Famalicão, como dei por mim sentado em cima da SCOTT FOIL pela Serra da Estrela acima e abaixo!
Foram dois grandes eventos em que tive os meus Sponsors em ambos, como foi o caso da Scott Portugal. Podia ter optado por fazer só um evento e lutar por uma fotografia no pódio... mas, optei pelo empeno e que foi em grande mesmo grande mas fiquei satisfeitinho fui até onde as pernas aguentaram. Foi um gozo tremendo!
Skyroad Granfondo teve como patrocinador oficial a Scott Portugal e como embaixador da marca a minha presença foi solicitada assim, tive de dar uma perninha neste dois grandiosos eventos e ser também a representação da FAMABIKE no Skyroad onde os principais agentes Scott estiveram presentes.
Deste dois dias tenho sensações muito positivas, muitos amigos, o rever de muitos colegas mas acima de tudo o sentimento de dever cumprido!
Tenho de agradecer à Sofia que ontem e, hoje especialmente, foi incansável dando o apoio necessário a mim e a tantos outros colegas. Deu abastecimento, apoio e a cada curva lá estava ela a tirar fotos.
Nem tudo foi um mar, logo aos 5km perdi o meu bidão e sabia que só podia abastecer pela organização aos 30km... tive logo de começar a gerir. Valeu-me o amigo Rui Miranda meu ex~colega de equipa dos tempos do ASC que me cedeu um bidão. Sabia que a Sofia só estaria pelos 70km e ainda faltava muito para lá chegar.
Fiz pela primeira vez a subida do Adamastor, que tormento! Mas ainda muito pior estava para vir. Um calor avassalador com poucas sombras mas um percurso fantástico.


Agradeço à Scott Portugal pelo desafio e à Famabike pelo apoio e de me fazerem sentir especial.






















LOUROPEL 24 horas Btt Famalicão 07/06/2018



Até parece que estive em dois eventos ao mesmo tempo! 


Fim de semana louco também para a Scott Portugal que teve que se dividir por Famalicão, Serra da Estrela e Alemanhã, por isso mesmo é que os embaixadores são importantes pois são a representação quando não podem estar. Foi isso que me comprometi fazer, mesmo sem "obrigação" possivelmente é isso que nos diferencia... 

Por isso, deixo-vos mais dois links de 2 vídeos das 24h Sábado e de Domingo, dia 8, em que o meu grande amigo Orlando que me ajudou e também com dedicação me fez chegar estas imagens de toda a azafama, e de como decorreu o evento e as últimas horas das 24H BTT Famalicão. 



Recolher imagem, editar e partilhar in time requer trabalho mas acima de tudo gosto pelo que fazemos e por quem nos segue. 
Depois receber mensagens, "Fui de propósito ás 24h para te ver e quando me disseram que já não estavas em acção, estive lá pouco tempo, sem a tua presença não é a mesma coisa...

Fotos by minha mais que tudo Sofia Brito que está como sempre lá!
A minha participação nas 24h Famalicão este ano ficam só pelo 1º dia!


Divirtam-se e boas pedaladas a todos! 
Obrigado!


Foto by Município Famalicão! Obrigado













quarta-feira, 4 de julho de 2018

Taça Reg. ARCVR/Taça de Portugal de XCM -VII Troféu BTT Montalegre – Acácio da Silva 01/07/2018


Relativamente à maratona em si, a prova correu-me bem. Foram 84 km de muita dureza. Estamos em Julho?😛

As condições climatéricas obrigou-nos a trabalhos reforçados, percurso com boas marcações e boas paisagens ainda se conseguiu ver pelo denso nevoeiro! 
😁😃
Gostei! Um percurso espetacular, o tempo é que se portou mal e não facilitou a vida dos atletas.

Como resultado, um resultado que soube a vitória! 
Estamos perto! 
😉

Mais um 2° lugar este ano, o colega vindo de Espanha, não fosse ali ao lado, arrecadou a primeira posição e o percurso da maratona também andou por terras de “nuestros hermanos".
Para todos os meus parceiros e em especial para a minha grande companheira, que também não teve vida fácil para estar como sempre no sítio certo. Obrigado meu amor Sofia Brito


Amigos e companheiros que torcem por mim obrigado por me fazerem sentir especial!
A minha Scott SPARK, sempre impecável, porque o Sr. Francisco conhece-a melhor que eu, o único que toca nela. Boa dupla, o Sr. Francisco dá-lhe carinho, eu porrada nela! 






sexta-feira, 29 de junho de 2018

A Scott FOIL DISC PREMIUM, as Rodas SPEEDSIX e o grupo SRAM Red eTap


As aventuras em que nos metemos... faz hoje oito dias que treinei na Serra da Estrela e ainda tenho na cabeça as experiências e nas pernas as dores que apanhei por lá. 

Para além do estágio, o grande objectivo era testar o material em condições que em Portugal só a Serra da Estrela pode proporcionar.
Testei todas as capacidades da nova Scott FOIL DISC PREMIUMequipada com SRAM Red eTap e as rodas SPEEDSIX EVO DISC 4.5.


SRAM Red eTap é o que vou abordar hoje, mas há muito mais para contar...

Logo no primeiro dia, na sexta, quando já tinha iniciado o treino com partida em Belmonte e um percurso planeado de passar em Manteigas, subir à Torre e descer para Covilhã, apercebo-me que as baterias das mudanças não estavam as duas carregadas como era suposto. Uma delas não tinha carga! 
Uma das grandes vantagens deste grupo é o facto de ter duas baterias e por isso consegui seguir caminho.

Quem me visse estrada acima devia ter achado no mínimo estranho pois quando precisava de mudar o prato à frente tirava a bateria traseira colocava à frente para fazer a troca, usando o prato pequeno para subir e, para descer o prato grande (pois só uma das baterias tinha carga!).
De Manteigas até à Torre sempre de 36 claro, e jogar só atrás.

Sem carregador pois não o levei, salvou-me o amigo Tiago Machado que também usa este grupo e lá me emprestou o carregador para os dias seguintes... 
Caso contrário a SOTTT Spark é que teria entrado ao serviço!
























Até agora ainda não tinha dado feedback da experiência com a Sram Red Etap e tinha de a testar a sério.

De fabrico americano, só a  simplicidade de não ter fios já faz a diferença. O grupo pode ser montado em qualquer bike. Não há fios, nem caixa de comando, bateria internas no quadro ou penduradas, a comunicação entre manípulos e desviadores faz-se por  wireless e, até agora, não notei falha alguma nem interferências com outros aparelhos até mesmo iguais, zero mesmo! 
Se quisermos  o controlo de  todos os dados no nosso GPS, com uma ligação ANT+ do desviador traseiro isso é possivel.

Com o eTap a troca de mudança é mais rápida e precisa, com um pequeno toque do lado direito/esquerdo trocamos facilmente de mudança. Do lado esquerdo sobe a mudança e do lado direito desce. Tocando os dois ao mesmo tempo, o grupo troca a mudança dos pratos da frente. 
De lembrar que cada mudança tem uma bateria que deve ser carregada pois são alimentadas por umas pilhas "tipo moeda". A autonomia anunciada de cada bateria é de cerca de 1.000 km ou 60 horas para os desviadores, com recarga em 45 minutos.



Informações Técnicas


- Desviador dianteiro Red e-Tap 2x11V; - Pratos 52/36
- Corpo em Alumínio;
- Caixas externa e interna e carbono;
- Tecnologia Yaw que permite que a caixa se movimente alinhada com o prato;
- Transmissão sem fios Airea;
- Indicador de bateria LED;
- Peso (fabricante): 187 g com bateria / 163 g sem bateria.
- Desviador Traseiro Red e-Tap 2x11V - Cassete: 28 dentes


- Corpo e dropout em carbono;
- Roldanas AeroGlide;
- Rolamentos em cerâmica de elevado desempenho;
- Tecnologia Exact Actuation para trocas de velocidade rápidas e precisas;
- Transmissão sem fios Airea;
- Indicador de bateria LED;
- Peso (fabricante): 239 g com bateria / 215 g sem bateria.

- Manetes e-Tap 2x11V HRD + pinças:
- Manete de carvão em carbono;
- Apoios de manete com revestimento específico;
- Tecnologia e-Tap (movimento na manete direita para descer a corrente, movimento na manete esquerda para subir, pressão em simultâneo nas duas manetes para trocar de prato);
- Regulação independente da guarda da manete de velocidades e de travão;
- Transmissão sem fios Airea;
- Indicador de bateria LED;
- Sistema de travagem HydroHC;
- Ajuste do ponto de contacto;
- Tecnologia de sangramento Bleeding Edge;
- Pinças HRD para uma gestão ideal do calor da travagem (ecrã térmico, êmbolos em alumínio isolados, suporte de pastilhas mais largo)

Discos – Sram 160 traseiro/ frente







terça-feira, 26 de junho de 2018

SERRA DA ESTRELA vs FOIL DISC PREMIUM vsRODAS SPEEDSIX EVO DISC

De 22 a 24 de Junho estive em "estágio" na Serra da Estrela. Este fim-de-semana coincidiu com o Campeonato Nacional de Estrada que decorreu em Belmonte e por isso, todas as estradas em redor da serra e o sobe e desce à torre estava muito frequentado.




Para além de poder treinar numa altitude mais elevada o que eu realmente queria era ver o comportamento da Scott Foil Disc Premium. Meus amigos esta máquina é só potência! 

Em 3 dias fiz quatro subidas à torre, o ponto mais alto de Portugal Continental que se fixa nos 2.000 metros de altitude.

Uma coisa é testar os travões de disco da minha bike de estrada a Scott Foil Disc em descidas de 5/7 km, outra coisa, completamente diferente, é fazer descidas de 20/30 km! 



Muito teria a contar destes três dias em que fiquei instalado no Luna Hotel juntamente com a Sofia, mas o que me está gravado na memória são as sensações vividas e o verificar que afinal não estava errado quanto às bikes de estrada de disco.



No sábado, desci 15 km atrás do Tiago Machado! Saímos do Luna Hotel e o percurso era sempre a descer para a Covilhã, Belmonte e Guarda em que o Tiago ficou por lá e eu tinha empeno marcado de 4h:30... Após os primeiros km pensei logo, fonix que não vou chegar inteiro ao hotel! O "ponteiro" não baixava dos 70km/h e tivesse eu o kit de unhas do Tiago Machado, chegaria aos 80km/h que acredito que o dele tenha chegado pois o meu ponteiro chegou a marcar 75km/h... só conseguia aproximar-me dele cerca de 10 metros antes das curvas porque notava que ele começava a travar antes ou quando abrandava a ver se eu não tinha feito alguma curva a direito...

A conclusão a que cheguei é que a bike de estrada com disco é mesmo melhor. Mais segurança e confiança e com ganhos a descer e já para não falar do conforto que confere ás mãos ao fim daqueles km todos... com os travões convencionais o que não teria de apertar e apertar travões descidas abaixo!

Independentemente da técnica ou não tenho propriamente o peso pluma dos ciclistas profissionais e a minha estrutura corporal aumenta a necessidade do poder de travagem, teria mais necessidade de ir "sempre" a apertar o travão e com o disco isso acaba por não acontecer. Tive aquela sensação do rali em que ao curvar a tamanha velocidade parece que só ouvia a gravilha a saltar :)

Não esquecendo que a rodas também fazem e muito a diferença neste tipo de situações. As minhas Speedsix Evo Disc transmitem-me muita confiança pois nem queria imaginar àquela velocidade acontecer um problema, tipo rebentar o raio...



Experimentem, a sério, não se vão de certeza arrepender! Mesmo os ciclistas profissionais... estranha-se mas depois entranha-se, afinal foi o que aconteceu a certa altura com as de BTT. Ainda se lembram dos V-Brake?