segunda-feira, 14 de outubro de 2019

TRAVESSIA TRANSMONTANA 11 a 13 de Outubro 2019

Ainda a recuperar as forças e com emoções à flor da pele, o que dizer de mais esta Travessia Transmontana edição 2019!



 Foram três dias com sentimento de realização. Sentimento de quem estava a precisar de uma coisa destas!



Uma edição novamente ganha! Ganha no sentido de realização pessoal. 
Um evento épico, amigos fantásticos, staff super atencioso e podia continuar nos elogios...


Este evento, que já conta com a sua quarta edição, como na edição do ano passado, foi composta por três longas etapas em linha, ou seja, o ponto de partida e de chegada são sempre em cidades diferentes, os hotéis foram os mesmos os quilómetros entre eles é que foram mais longos e a dureza dos percursos também aumentaram e de que maneira.

A beleza e dureza dos percursos selecionados, acrescida ao convívio dentro e fora dos trilhos foram sem dúvida o maior incentivo a quem a cada dia tentava superar as suas metas, desafios ou objectivos.

Estivemos em 4 hotéis diferentes, visitamos 7 municípios e atravessamos 72 aldeias. Tudo isto em 3 dias, em cima da bicicleta, guiados por GPS durante 325km, com 8560m de subida acumulada, 17h a pedalar na totalidade segundo o meu GPS WHAOO ROAM e em autonomia, embora sempre acompanhados de perto pela organização.



A etapa do primeiro dia, sexta-feira dia 11, partida foi dada mais uma vez no sempre impactante Castelo de Bragança, para fazer a ligação Bragança- Macedo de Cavaleiros - Mirandela. O dia começou bem fresco, mas a subida de temperatura não tardou em aparecer a juntar à parte de maior dificuldade do dia dos 117km na ligação Bragança - Macedo de Cavaleiros - Mirandela. O início da etapa fomos brindados com rampas de inclinação soberbas, logo a mostrar aos participantes para o que vinhamos e o que nôs estava reservado ... DUREZA!



O trilho em volta da Albufeira do Azibo, que eu já conhecia parcialmente foi, para mim, o ex-libris do dia como no ano passado mas percorrido ligeiramente por trilho diferente.
A chegada a Mirandela fez-se sobre a ponte do rio Tua com uma paisagem envolvente de cortar a respiração.


A segunda etapa, sábado dia 12, composta por 115km com 3.318 de acumulado, ligou ​Mirandela - Murça - Vila Pouca de Aguiar. 



Visitamos a lendária (Município) Porca de Murça onde estava localizado o abastecimento, reforço alimentar, do dia e logo de seguida enfrentar a calçada romana junto ao rio Tindela, com passagem sobre a ponte romana em que desafiou todos os corajosos na dificuldade que é a transposição das pedras sobressaídas da calçada. Um verdadeiro massacre aos músculos já doridos da etapa do dia anterior. 



Etapa Rainha bem se pode dizer! Sem duvida! 
Uma etapa que foi bastante desafiante para os participantes, bem delineado em que teve de tudo. As paisagens eram convidativas a serem apreciadas, mas com cautela porque tínhamos de ter cuidado ao retirar os olhos dos trilhos, é que algumas inclinações eram de tirar o nosso fôlego. De vez em quando ainda dava para espreitar pelo canto do olho em que mais parecia que recebíamos uma lufar de energia ao deslumbrar belas paisagens... 
Foi um dia em que fisicamente até me senti bem melhor que o anterior. Mas que me provocou uma valente dor de pernas e que me fez estar receoso de como iria estar o corpo no dia seguinte. 
Das edições anteriores esta vinha a demonstrar o porquê de só 30 participantes terem concluído os três dias da Travessia. Foi uma etapa em que também tive direito a um furo. Mas o cronómetro és tu e chegar ao fim desta etapa era o mais importante e que infelizmente não foi para todos. Alguns dos que chegaram, já tinham em mente que não iriam arrancar no dia seguinte. 
Fantásticas paisagens foi certo.
Traçado muito bonito, mas que BRUTALIDADE



Com os quilómetros acumulados do dia anterior, partimos no Domingo com sinais de chuva e de muita dificuldade à nossa espera, partimos para a terceira e ultima etapa num percurso com 92 Km, 2600 metros de Altitude acumulado, ligação Vila Pouca - Mondim de Basto atravessando a Serra do Alvão. A meta estava situada Água Hotel Mondim, para ai terminar mas para isso ainda teríamos de fazer a chegada ao hotel pela DURA subida por trilho igual ao ano anterior.


As temperaturas e condições climatéricas foram de extremos! Atravessar o Parque Natural do Alvão foi muito complicado derivado ao frio, chuva e o muito vento, ao ponto de chegar ao abastecimento a bater o dente. Depois do abastecimento foi tudo mais suportável, não dava para apreciar as paisagens derivado ao denso nevoeiro, mas as matas dava um cenário cinematográfico muito bonito e ainda fomos quase fazer uma visita à mítica Senhora da Graça no Monte Farinha.



Uma experiência e Aventura que conto repetir sempre nos próximos anos.



sábado, 5 de outubro de 2019

BIKE DAY - Gupo Escolar Louro 04/10/2019

E cá vai mais um magnífico BIKE DAY!
As reações genuínas das crianças para com a minha pessoa tomaram conta de mim!
Uma iniciativa que começou naturalmente mas não por acaso e cada vez mais adoro participar.
Já temos mais atividades e visitas programadas. A ideia base é levar a bicicleta às escolas. Depois de uma pequena conversa, distribuído autógrafos e oferecer uns pequenos miminhos, lápis e queijinhos Dom Villas. E porque a "folia" já era enorme, fomos logo de seguida então fazer um passeio pela ecovia da Formiga que é logo ali ao lado. A palestra ficou para o final.
Contar a minha historia e como é que me apaixonei pelas bikes.
Mostrar que andar de bicicleta é também mais um desporto que podemos praticar.
Conseguir transmitir que saber andar de bicicleta é uma coisa básica de vida. Que pedalar é uma maravilhosa conquista de autonomia e puro prazer para qualquer um deles.
Que pode ser uma forma de transporte no quotidiano, uma opção de lazer, convívio, de actividade física de manutenção ou até mesmo de desporto como falei que é o que eu pratico. Claro que dou especial ênfase aos cuidados que devemos ter.
A regra numero UM é também a minha primeira pergunta para quem sabe ou quer aprender a andar de bicicleta é se usam CAPACETE e friso a importância do seu uso.
E por achar ser nestas idades escolares que se pode criar condições para uma mudança drástica de comportamentos nas novas gerações onde se consegue ter o foco das crianças.
E aproveito para abordar os cuidados que devemos ter.
Quando me perguntam pelos resultados tento passar a mensagem que no meio disto é a ultima coisa que devemos pensar e preocupar.
Mas orgulhosamente tenho bons resultados e conquistas mas o melhor são os locais que só com a bicicleta é que consegui conhecer e muitas outras peripécias para contar!
Nesta visita ao Centro Escolar do Louro estive com miúdos do 3º e 4º ano e já é preciso pulso para os segurar...
Ainda bem que tive ajuda do Sr. Presidente é que eu não queria ser o mau da fita. Nestas idades a folia já é muita e eles o que querem é deitar tudo cá para fora.
Esta escola está situada num local que em volta pode-se criar boas condições para soltar as pequena ferinhas.
Por final tenho de agradecer a quem me ajudou nesta iniciativa, logo não posso esquecer e deixar de agradecer:
Dom Villas, que permitiu-me levar para oferecer alguns miminhos e muito SAUDÁVEIS, um pequeno lanche! Queijinhos propícios e aconselháveis para estas idades.
FAMABIKE, pelo apoio de toda a logística. MCSDESIN, na elaboração dos cromos.
Junta de Freguesia do Louro, pela mão do Sr. Presidente Manuel. Bem como a todas a professoras, colaboradoras deste Centro Escolar e ao fotografo Tiago Carvalho Videografia.

Obrigado!
Até breve!













sexta-feira, 20 de setembro de 2019

BIKE DAY - CASA DO PESSOAL do HOSPITAL V.N.FAMALICÃO


Mais um BIKE DAY

Nem sei te dizer o que sinto!
Sei é que não trocava isto por nenhuma vitoria que fosse.

Hoje foi dia de visitar a Casa do Pessoal do Hospital V.N. FAMALICÃO.

Dá um pouco de trabalho, mas a recompensa é excelente, as crianças são grandes e merecem toda a minha dedicação como forma de agradecimento.
Aquela ternura nos olhos ansiosos com a minha chegada porque nesse dia alguém lhes incutem que vai ser um dia especial. Vão receberem alguém de especial para com eles andarem de bicicleta.

Toda vez que tenho feito estas visitas e vejo uma criança com a sua bicicleta eu sinto uma coisa boa no peito. Aquela ternura nos olhos de cada ser pequeno, igual ao do meu filho, ansioso por me seguirem ou fazerem uma corrida comigo isso acaba por passar para a minha alma e aquece-me o coração.

Que dizer mais sobre? 
Vou tentar é fazer de tudo para que sempre que possa dar-me a proporcionar a mais sensações destas!

A minha satisfação deve dar para ver pelas fotos que o amigo Sérgio Rodrigues captou. Obrigado!




De coração cheio!
E disponível a visitar todas as escolas que o assim desejarem.
Desafia a escola do teu filho que não tem custos algum...
filipe.abrito@sapo.pt


À instituição Casa do Pessoal do Hospital V-N.Famalicão, professores e auxiliares o meu muito obrigado pela receção.
Famabike, Futebol Clube de Famalicão, Dom Villas e MCSDESIGN obrigado pela colaboração da logística e afins.