segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Entrevista ao VILA NOVA ONLINE

Entrevista | Filipe Brito: A bicicleta preenche-me



Natural de Vila Nova de Famalicão, mais propriamente da freguesia do Louro, o ciclista Filipe BRITO de 40 anos, apaixonou-se pelas bicicletas, há cerca de 12 anos, após uma lesão no joelho. Com formação na área do Desporto, o atleta foi, em 2018, Campeão Regional da Taça de Maratonas ARCVR e ficou na 4ª posição no Campeonato Nacional de Maratonas. Prestes a iniciar uma nova época, em entrevista ao Vila Nova Online, Filipe Brito fala da paixão pelo ciclismo, fazendo um balanço da temporada passada e uma antevisão do que está para vir.


Maria João Mesquita: Antes de mais, e para ficarmos a saber um pouco mais do que o que é óbvio, quem é Filipe Brito?

Filipe Brito: Sou um atleta que se apaixonou pelo mundo do BTT e das bicicletas em si. Acima de tudo, empenho-me e tento estar bem fisicamente. O que quero sempre é tentar superar-me a mim próprio.

Maria João Mesquita: Como surgiu a paixão pelo BTT?

Filipe Brito: Esta paixão surgiu devido a uma lesão no joelho. Eu fui jogador de futebol, contraí uma lesão no joelho e tive de ser operado. A partir daí, e como deixei de jogar futebol, ganhei peso, pelo que me aconselharam a andar de bicicleta, algo que ajudava a circular o sangue no joelho. E foi o que fiz. Comecei a andar numa bicicleta baratíssima, comprada no supermercado, e notei que o joelho começou a deixar de inchar. Então, pela altura do Natal, a minha esposa ofereceu-me uma bicicleta mais cara e comecei a fazer ainda mais exercício. Sempre fui um apaixonado pelo desporto e, a dada altura, entrei com uns amigos num passeio de BTT e o que me fascinou foi ver bicicletas em cima dos carros, num total de 600 pessoas ou mais. Foi aí que me deu o clique. Passeio atrás de passeio, fui evoluindo. A par disso vieram alguns resultados, que foram sempre crescendo até hoje, assim como os apoios.

Maria João Mesquita: Associado na Federação Portuguesa de Ciclismo,quais foram os melhores e piores momentos desde a sua entrada no ciclismo de competição até agora?

Filipe Brito: O pior foi em 2017. Foi um ano complicado a nível psicológico e pessoal. Foi difícil até para cumprir treinos, mas pode dizer-se que foi um ano de aprendizagem. Um dos meus melhores anos foi quando enveredei no ASC Vila do Conde. Foi o primeiro ano em que participei em competição e fui logo campeão desse troféu em Vila do Conde. Para além disso, o ano 2018 também foi bom, nomeadamente a nível de resultados. Em termos de ciclismo no geral, o balanço é positivo. A bicicleta preenche-me.


Maria João Mesquita: Arrepende-se de alguma coisa na sua carreira, enquanto ciclista?

Filipe Brito: Não. Fiz tudo com gosto e, mesmo mudando de clubes, tive sempre o intuito de melhorar. Estive sempre de consciência tranquila e não me arrependo de nada.

Maria João Mesquita: Qual é a chave para o sucesso?

Filipe Brito: Eu acho que, acima de tudo, as pessoas têm de gostar do que fazem. Nada pode ser forçado ou feito de forma a agradar aos outros. Devemo-nos sentir bem com nós mesmos, em primeiro lugar, e com vontade de ajudar o próximo. Depois, é preciso ter sorte e dedicação. O sucesso, se não for uma obsessão, acaba por vir com naturalidade.

Maria João Mesquita: Qual o balanço que faz do seu desempenho ao longo da temporada 2018? Alguma vez achou que ia conseguir ter resultados tão bons na pista?

Filipe Brito: Sinceramente, não. Nunca pensei nos resultados em si. É sempre bom ganhar, chegar em primeiro à meta, mas o que me fascina mesmo são os locais por onde andamos e que visitamos. Gosto de desfrutar da natureza e da bicicleta em si. Claro que quem se dedica aos treinos mais afincadamente acaba por ver resultados. Realmente, no ano passado dediquei-me bastante, com algum sacrifício, mas sempre com prazer. Também os treinos e a restrição alimentar foram muito importantes. A preparação física foi melhor, mas não forcei nada. Se uma pessoa tiver prazer, principalmente nesta fase, vê resultados. Ser regular ao longo do ano levou-me ainda a atingir bons resultados a nível regional e nacional. Fiquei na 4ª posição no Campeonato Nacional de Maratonas e fui, inclusive, para essa prova com uma lesão. Quando menos esperamos, é quando temos mais sucesso.



Maria João Mesquita: Faz parte, actualmente, da Controlsafe/Famabike/V.N. Famalicão. Até que ponto acha que com este grupo irá conseguir evoluir cada vez mais?

Filipe Brito: A Controlsafe/Famabike/V.N. Famalicão são meus parceiros, são patrocinadores muito importantes para mim. Mas existem outros que me preenchem. Tenho um conjunto de parceiros que me ajudam e me permitem escolher as provas que quero realizar a nível nacional, até porque este ano o calendário vai estar muito preenchido. Quanto a evoluir, este ano estou a fazer outro tipo de preparação física, pelo que vamos ver se isso traz ou não benefícios. Creio que sim, pelo menos sinto-me melhor. O que quero é continuar a disfrutar da bicicleta e ter quem me ajude, quem acredite em mim. De resto, penso também em evoluir mais como pessoa, porque podemos sempre melhorar.

Maria João Mesquita: Como surgiu o convite para ser embaixador da Associação Amigos do Pedal - Famalicão

Filipe Brito: Eu já conheço a Associação Amigos do Pedal há 10 anos. É uma Associação que respeito muito. Organizam bem as provas e estão bem vincados no concelho famalicense. É um gosto pessoal ser embaixador da Associação e as coisas foram crescendo de forma natural. Eu sempre fiz parte dos eventos organizados por esta Associação, que achou que esta seria uma boa parceria, e para mim é um gosto. Se nos ajudarmos uns aos outros, o mundo do ciclismo tem tudo para crescer, porque o nosso concelho é muito fértil a nível de praticantes. “Eu vou para onde a bicicleta estiver virada.”

Maria João Mesquita: Que provas se seguem para o ano 2019 que gostaria de destacar?

Filipe Brito: Eu tenho provas por etapas. Comprometi-me a fazê-las e tenho já uma em Fevereiro, nos dias 1, 2 e 3 – Race Natura Lagoa. Depois as coisas seguem naturalmente. Eu costumo deixar-me ir. Hoje vou aqui, amanhã vou ali. Eu vou para onde a bicicleta estiver virada. Gostava de ir à Suíça, por exemplo. Costumo ir todos os anos para treinar, mas gostava de fazer alguma prova lá. Também gosto muito das provas que se fazem na Serra da Estrela. A zona de Trás-os-Montes é igualmente fabulosa para fazer maratonas de BTT. Em Famalicão, faço questão de estar presente em todos os eventos. Por isso, o calendário está muito preenchido.


Maria João Mesquita: Que conselhos pode dar a todas as pessoas que estão a iniciar a sua atividade no ciclismo?

Filipe Brito: Espero, sobretudo, que gostem da bicicleta e que gostem de fazer desporto. Se há conselho que posso dar é que façam aquilo que gostam. O resto surge espontaneamente. A bicicleta não é fácil. É difícil fazer carreira. Ainda não é uma aposta muito grande. Tem de se trabalhar muito. Mas o que é preciso é disfrutar do ciclismo, treinar afincadamente e não criar ilusões. Importa também unirmo-nos às pessoas certas.

Maria João Mesquita: Para terminar, o que podemos esperar do Filipe Brito para esta temporada?

Filipe Brito: Trabalho. Trabalho com parceiros e patrocinadores que acreditam em mim. Dedicação. Estou focado em treinar bem, em estar bem fisicamente. Há muita coisa na minha cabeça ainda por agendar. Tenho a sorte de ser embaixador da SCOTT Portugal e estão aí a surgir muitas novidades. Há muita coisa a acontecer e, portanto, penso mais a curto prazo, no imediato. Em termos de patrocínios, este ano vai mudar-se também a imagem. Contudo, o meu objetivo é tentar sempre surpreender, principalmente os meus patrocinadores, não com resultados, mas com trabalho.




ACERCA DO(A) AUTOR(A) DO ARTIGO

Maria João Mesquita

Maria João Mesquita

Maria João Mesquita nasceu em 1996 e é natural de Vila Nova de Famalicão. Apaixonada pelo mundo da comunicação, encontra-se a realizar o Mestrado na área do Jornalismo na Universidade do Minho. Interessa-se por cinema, literatura, viagens e fotografia e acredita que “o impossível reside nas mãos inertes daqueles que não tentam”. Ambiciona um mundo em que a paz e o amor sejam imperativos e as gargalhadas constantes.



domingo, 6 de janeiro de 2019

Como treinar em dias de muito frio? Roupa, Alimentação e outras dicas.

Como me preparei para enfrentar as temperaturas negativas dos Alpes? 



Quando está muito frio, sair para treinar com muita roupa também não é muito aconselhável!

Uma boa técnica, que frequentemente utilizo, para quem tiver paciência é fazer um pequeno aquecimento de 15 a 20 minutos (em rolos) antes de sair para a rua.

Qual é a roupa adequada para andar de bike em dias de muito frio?
Neste dias, o calor corporal é perdido essencialmente pela cabeça, pele, pés e mãos. Por isso aprendi o importante que é proteger as extremidades do corpo, como os pés, mãos, cabeça, orelhas, etc.

A roupa interior deve ser, de preferência, de material sintético, capaz de eliminar o suor do corpo, mantendo-nos quentes e secos, permitindo a evaporação do suor, e ser suficientemente quente para manter o calor corporal, mas respirável para evitar sobreaquecimento.

A roupa exterior, essa deve ser à prova de água e vento.

Temos de apostar em roupa de qualidade! Um bom casaco, calças, ou corsários (objectivo é proteger os joelhos), capas, luvas e uma termo chega!
Não acho que seja o correto levar muitas peças de roupa vestidas para treinar pois, depois de começares a transpirar, imagina o tempo que essa roupa toda demora a secar...

Um bom casaco é aquele que não deixa o vento entrar! Tecidos em membrana são os indicados nesta altura. Mesmo que sejas muito calorento não queiras levar com o vento gelado no peito ou cabeça, usa pelo menos um colete em membrana. 
Uma gola faz sempre jeito nas descidas para proteger o rosto e a pele do vento gélido.  

Umas boas luvas que sejam maleáveis e à prova de vento! Em tempo muito frio não gosto de luvas Impermeáveis ou meias transpiro muito pelas mãos.

Se procuras roupa com estilo e personalizada procura a DI GARDA 😉



Meias impermeáveis acho um erro e pessoalmente não aconselho, mesmo em dias de muita chuva, certo que não entra o frio mas, se transpirares nos pés, a água que acumulares também não sai e mais facilmente ficas com os pés gelados.
Uma meia confortável de algodão e umas capas de sapatos (
que não deixem entrar o vento) é que fazem a diferença.

Um ciclo de Multivitamínico rico em Vitamina C, se ainda não o fizeste, ainda vais a tempo, o Inverno só começou no dia 21 de Dezembro. Defesas em baixo gripes e constipações é certo. 

Durante o treino não esquecer a hidratação, estou a usar ZVO  é eficaz para repor os electrólitos perdidos, hidratando e mantendo o sistema imunitário durante o treino mais activo e ajuda na queima dos excessos das festas...

ZV ACETYL-L-CARNITINE 1h antes de sair para treinar. Géis de cafeína é altura certa para se levar para prevenir os empenos.

Suplementação ZIPVIT 😉

Na estrada ter cuidado com as zonas de gelo, travar antes de chegar ás curvas e usar o travão da frente nas curvas.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Novidade para 2019 Embaixador dos Amigos do Pedal


“Mais uma novidade para 2019, o Filipe Brito será o embaixador dos Amigos do Pedal.
Um atleta de Famalicão que nunca faltou a um evento nosso, que permanentemente se preocupa e divulga os nossos eventos, sempre disponível para ajudar.
Fazia todo o sentido esta conjugação de esforços, já que o que nos move são os mesmos motivos.” 
💪 Amigos do Pedal



Com orgulho do passado e confiante no futuro temos sempre oportunidade de acrescentar valor, contribuindo com a experiência própria e ainda aprender com os outros, os bons.

Porque a confiança, para mim, é um assunto sério pretendo sempre não desiludir quem confia em mim. Esta é uma doutrina!

Sempre admirei esta associação, acompanhei o seu crescimento e a sua coragem destemida de serem pioneiros!

Muito trabalho é o que está sempre por detrás do êxito, o saber “atacar” o sitio certo, na hora certa para tornarem possível o que parecia impossível aos olhos dos mais cépticos.

Obrigado! 
Amigos do Pedal

sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

SCOTT ADDICT GRAVEL 30 BIKE



O que temos aqui?
Especificações/Geometria/Componentes
SCOTT ADDICT GRAVEL 30 BIKE


SCOTT Addict Gravel 30 foi montada para permitir que nos aventuremos em qualquer tipo de estrada, qualquer lugar e em qualquer condição climática. Isso é ponto assente.

Esta bike vem com um quadro em fibra de carbono HMF e equipada com componentes Syncros

Os travões de disco hidráulicos Shimano BR-R7070 , com 160/frente e 160/atrás SM-RT70 CL que permite um bom poder de travagem, muito eficiente e seguro sem derrapagens.

Com umas rodas tamanho 28, aros Syncros RP2.0 Disc RWS, equipadas com pneu Schwalbe 700x35C, roustos e de muita boa qualidade que permitem um bom rolar fora da estrada e não comprometem quando circulamos em trilhos mais agrestes.
Estou surpreendido com o conforto do selim com que esta bike vem equipada, o Syncros R1.2 Carbono 27.2mm.

A oportunidade de experimentar esta bike (modelo 2019) nas condições de tempo que tenho enfrentado, com neve em todo o lado principalmente acima dos 1.600 mts altitude que é o local onde me encontro – Crans Montana. 

Tive oportunidade de voltar a percorrer o Cantão de Valais e é uma sensação única. Com neve ou sem neve é lindíssimo, sempre com paisagens de cortar a respiração.  

Na Scott Sports (cede Fribourg) fui aconselhado e desafiado pelo Vicent para utilizar esta bike, a experimentar, que seria a mais acertada para esta zona, se não gosta-se para lá a ir trocar! 


Na altura fiquei na duvida, confesso, mas dificilmente conseguiria fazer os treinos que tenho feito, numa Addict ou Foil... não compromete a subir, então com neve... a descer é segurança total e permite-me sair da estrada e aventurar-me em alguns trilhos que sei que por aqui não há pedra fora do sitio! Estou rendido. 


Especificações/Geometria/Componentes

PESO
 +/- 8,5 kg
QUADRO
Addict Gravel Disc HMF / IMP Carbon technology
Gravel Race geometry / Replaceable Dropout
FORQUETA
Addict Gravel Disc HMF Flatmount
1 1/8"-1 1/4" tapered Carbon steerer
Alloy Dropout
DESVIADOR
Shimano 105 Black FD-R7000
Shimano 105 Black RD-R7000-GS
22 Speed
MUDANÇAS
SISTEMA REMOTO
Shimano ST-R7020 Disc Dual control 22 Speed
TRAVÕES
Shimano BR-R7070 Hyd Disc
160/F and 160/Rmm SM-RT70 CL Rotor
PEDALEIRO
Shimano 105 FC-R7000 Black
Hyperdrive 50x34 T
SELIM/ESPIGÃO
Syncros Tofino T-Cutout 2.0
Syncros R1.2 Carbon/AL 27.2mm
CORRENTE
Shimano CN-HG601-11
CASSETE
Shimano CS-HG700
11-34
RODAS
Syncros RP2.0 Disc Syncros RWS
PNEUS
Schwalbe G-ONE Allround RG 700x35C
SUPORTE BIDÃO
Syncros Matchbox Tailor Cage HV1.5 Integrated Bottle Cage – Right





segunda-feira, 24 de dezembro de 2018

Scott Addict Gravel 30 (2019)

O que temos aqui?




SCOTT Addict Gravel 30 foi montada para permitir que nos aventuremos em qualquer tipo de estrada, qualquer lugar e em qualquer condição climática. Isso é ponto assente.

Esta bike vem com um quadro em fibra de carbono HMF e equipada com componentes Syncros

Os travões de disco hidráulicos Shimano BR-R7070 , com 160/frente e 160/atrás SM-RT70 CL que permite um bom poder de travagem, muito eficiente e seguro sem derrapagens.

Com umas rodas tamanho 28, aros Syncros RP2.0 Disc RWS, equipadas com pneu Schwalbe 700x35C, roustos e de muita boa qualidade que permitem um bom rolar fora da estrada e não comprometem quando circulamos em trilhos mais agrestes.
Estou surpreendido com o conforto do selim com que esta bike vem equipada, o Syncros R1.2 Carbono 27.2mm.

A oportunidade de experimentar esta bike (modelo 2019) nas condições de tempo que tenho enfrentado, com neve em todo o lado principalmente acima dos 1.600 mts altitude que é o local onde me encontro – Crans Montana. 

Tive oportunidade de voltar a percorrer o Cantão de Valais e é uma sensação única. Com neve ou sem neve é lindíssimo, sempre com paisagens de cortar a respiração.  

Na Scott Sports (cede Fribourg) fui aconselhado e desafiado pelo Vicent para utilizar esta bike, a experimentar, que seria a mais acertada para esta zona, se não gosta-se para lá a ir trocar! 


Na altura fiquei na duvida, confesso, mas dificilmente conseguiria fazer os treinos que tenho feito, numa Addict ou Foil... não compromete a subir, então com neve... a descer é segurança total e permite-me sair da estrada e aventurar-me em alguns trilhos que sei que por aqui não há pedra fora do sitio! Estou rendido. 













sábado, 22 de dezembro de 2018

SCOTT Sports é muito mais do que bikes! 22//12/2018



This is Scott Sports company headquarters.
The place where everythings happen.

SCOTT SPORTS é muito mais do que bikes!

Sinto-me privilegiado e reconhecido!
Fui, mais uma vez, muito bem recebido! 

Hoje, só mostro os "cadeaux" com que a Scott Sports me presenteou!

Um kit maravilhoso:
️MATCHBOX TAILOR CAGE HV1.5.
️Grade de Bidon da Syncros, equipada com 14 ferramentas que garantem a resolução de muitos problemas que possam surgir durante um treino e/ou provas.
️Caps Syncros novíssimos.
️T-shirts
️Sweats

E além disto tudo, aceitei o desafio de experimentar uma outra "coisa" nos próximos dias mas só amanhã mostro. 
Por hoje ficamos por aqui muita informação e conhecimento para digerir!
Não preciso de ter as melhores bikes da marca, o importante é sentir o apoio da melhor marca! 




Scott Addict Gravel Disc Adventure Bike







domingo, 9 de dezembro de 2018

GALA DE DESPORTO ARCVR 2018!

Ontem (08/12/2018) decorreu a GALA DE DESPORTO ARCVR 2018 que consistiu na entrega da atribuição dos títulos de CAMPEÃO e Taça XCM da Associação de ciclismo de Vila Real.




Acabei por ser o Campeão Regional da Taça de Maratonas ARCVR 2018.



Este ano teve um sabor especial, não só porque me empenhei e tudo correu bem, mas também porque gostei mesmo de fazer este campeonato!


Senti-me realizado e diverti-me imenso nestas provas durinhas mas soberbas boas marcações, disponibilizaram sempre os tracks gps, atempadamente, quem quiser ir à luta ou simplesmente desfrutar dos trilhos é uma boa ajuda de chegar ao final sem perder o trilho traçado.  




Felizmente e pelo bom desempenho durante todo o ano e em todas as provas, poderia ter optado por não ter participado nesta última pois já tinha um somatório de pontos vencedor.



A classificação final da “TAÇA REGIONAL DE MARATONAS XCM 2018/BICAMPEÃ da A.R.C.V.R. foi definida pelo somatório das classificações nas 5 melhores provas de um total de 6 maratonas, em que a ultima prova, em Campeã, a classificação da maratona contou a dobrar.


15/04 - 2º Master - Maratona Valpaços - Taça XCM ARCVR
01/05 - 1º Master - Maratona Vila Pouca de Aguiar - Taça XCM ARCVR
27/05 - 2º Master - Maratona Ribeira de Pena - Taça XCM ARCVR
17/06 - 1º Master - Maratona de Boticas - Taça XCM ARCVR
01/07 - 2º Master - Maratona Montalegre -Taça XCM ARCVR
14/10 - 1º Master - Maratona Campeã - Taça XCM ARCVR 

Deixo aqui publicamente também aos amigos mais famalicenses que também se destacaram neste campeonato, Sr. Benjamim Silva, Sr. Mendonça e o João Barbosa. Os meus Parabéns!
A todos os meus parceiros que sempre estiveram comigo ano longo deste ano de 2018 o meu muito obrigado!